Concurso Banco do Brasil: 12 dicas para a reta final


Hoje vamos conversar sobre como você estudar melhor e aproveitar melhor essa reta final de estudos para o concurso Banco do Brasil.

Dependendo de há quanto tempo você estude, talvez isso não seja óbvio para você, mas há formas melhores e formas piores de estudar.

A regra nos concursos públicos é a reprovação, então podemos crer que a maioria das pessoas – por desconhecimento ou por falta de prática – acaba escolhendo as piores formas.

Estas são as recomendações que tenho para você:

Concurso Banco do Brasil: dica 1 – use e abuse das questões

Reta final é o momento de se aproveitar – ainda mais – de questões de concursos anteriores. São elas que, afinal de contas, vão te mostrar o que e como a banca cobra.

O ideal no pós-edital, momento que estamos vivendo, é que você priorize questões da Cesgranrio. Embora resolver questões de concursos anteriores não signifique garantia de aprovação, é uma forma bastante segura de entender a forma de comunicação da banca e a maneira como as disciplinas são cobradas.

Mais do que apenas resolver questões no atacado, é importante que para cada erro e acerto você tenha pelo menos uma noção da razão da resposta, e para isso servem os comentários.

O processo precisa ser completo e, especialmente nesta reta final, é importante que você dê ênfase aos erros. São eles que te mostram as falhas no nosso processo de estudos (Estudo, revisão, aplicação).

 

Concurso Banco do Brasil:  dica 2 – Treine temas de redação

Quando se fala em redação, há dois elementos principais: forma e conteúdo.

Para a redação do concurso do Banco do Brasil, não é tão importante que você busque a nota máxima, mas sim a nota mínima – isso porque a redação é meramente eliminatória. Assim, ela não vai compor sua nota final. O objetivo é não ser eliminado.

Embora a Cesgranrio tenda a ir além do óbvio nos temas exigidos nas provas, a prática vai permitir que você treine a forma (escrevendo uma redação do início ao fim e, preferencialmente, cronometrando seu tempo para saber quanto leva para finalizar uma) e o conteúdo (pesquisando e discorrendo a respeito de tópicos selecionados).

É importante lembrar que não tem problema pesquisar argumentos para escrever a redação durante o seu período de prática – afinal, é para isso que você pratica, para que você tenha a oportunidade de se deparar com temas que podem vir a ser cobrados e escrever bem sobre eles.

 

Concurso Banco do Brasil:  dica 3 – visite o site do Banco do Brasil e siga suas redes sociais

Não raro, muitos assuntos cobrados de prova são oriundos das ações dos órgãos e instituições do concurso. Assim sendo, é razoável supor que pelo menos algum conhecimento a respeito das atuais ações do Banco do Brasil serão objeto de cobrança.

Para superar esse desafio, a sugestão é que você acompanhe as redes sociais do banco e visite seu portal com certa frequência – conhecer seus produtos e serviços é certamente uma maneira de ir melhor na prova.

 

Concurso Banco do Brasil:  dica 4 –  Faça revisões

Revisões são oportunidades de você entrar em contato com assuntos que talvez não tenham ficado tão marcados num primeiro contato.

Algumas pessoas confundem a revisão achando que terão de fazer “revisão de tudo” ou que a revisão precisa ser uma ampliação desnecessária do tempo de estudos. Outras, ainda, acham que é “perda de tempo” revisar porque você não está avançando no edital.

Mas revisar é fixar o conhecimento, é garantir que aquilo que você estudou estará disponível para você quando precisar se lembrar.

Se você ainda não construiu material de revisão, o trabalho é registrar as razões dos erros nas questões e rever esse material pelo menos uma vez por semana.

Se você já é um revisor habitual, basta seguir com o trabalho que você faz, sempre tomando cuidado para que não haja material excessivo na sua revisão (porque, aí sim, ela demorará mais do que o necessário).

 

Concurso Banco do Brasil:  dica 5 –  Treine com os simulados

Simulado = parecido.

Gosto de falar isso para que você saiba como tomar decisões a respeito dos seus simulados. O ideal é que ele seja o mais parecido possível com sua prova em termos de:

  • Duração
  • O fato de ser impresso
  • Nível de dificuldade
  • Distribuição das questões
  • Possível tema da redação.

Tudo isso torna o simulado não uma ferramenta de medir conhecimento (não é essa a função dele), mas uma ferramenta para você medir sua aptidão de prova. Serve também como termômetro da evolução. Usado como ferramenta de comparação interna (ou seja, comparar um simulado com outro simulado), você tem uma noção a respeito de como está evoluindo.

Não que seja uma medida exata, também porque os simulados do Gran Cursos Online são mais difíceis do que a prova deve ser, mas apenas uma alusão à sua evolução.

Os simulados te auxiliar a lidar com o estresse da prova, a modular sua expectativa em relação a só ter questões que você conhece, te ajuda a medir seu tempo de prova e a avaliar sua evolução.

 

Concurso Banco do Brasil:  dica 6 –  Não desista da prova

Quanto mais perto você chega da prova, maior é sua vontade de desistir.

Quanto mais perto você chega da prova, maior é seu diálogo interno:

“Tem gente estudando há mais tempo que eu”

“Tem gente que sabe mais do que eu”

“Tem gente estudando melhor do que eu”.

A resposta para todas essas divagações é “sim”. Mas isso não significa que você não tenha chances ou que não possa passar simplesmente por causa disso.

É fato que boa parte dos aprovados achava que não seria aprovado. Então, siga firme. Só a prova pode te dizer se você tem chances ou não.

 

Concurso Banco do Brasil:  dica 7 – Esqueça a concorrência

Sim, estamos falando do maior concurso do Brasil, sim, são centenas de milhares de candidatos, sim, são poucas vagas para cada microrregião.

Mas assim, em menor escala, são todos os concursos.

Concorrência é ilusória, simplesmente porque se você atingir um bom percentual na sua nota, estará aprovado, quer haja 20 ou 200 mil inscritos para a sua prova.

 

Concurso Banco do Brasil:  dica 8 – Cuide de você

Especialmente na reta final, é fácil esquecer de você. Acordar cedo e dormir tarde, só comer macarrão instantâneo, não tomar sol, não se divertir, tudo em prol dessa meta que, para algumas pessoas, se alimenta do nosso sofrimento e da nossa miséria.

É claro que reta final é foco total. Mas isso não significa que você não possa e não deva cuidar de si.

Separe um tempo, por menor que seja, no dia, para cuidar de si. Seu corpo e sua aprovação agradecem.

 

Concurso Banco do Brasil:  dica 9 –  Tenha paciência nos tópicos que não conhecer

Sim, temos pouco tempo.

Sim, há assuntos que você não vai aprender.

Sim, alguns conteúdos são mais difíceis do que outros.

Por isso é importante que você tenha paciência consigo, por isso é importante que você se mantenha firme no projeto e aceite que a ignorância é parte do aprendizado.

Você não sabe. Insiste, aprende, evolui, se torna melhor e aí aprende.

Muitos conteúdos você não vai APRENDER para a prova – vai tão somente descobrir como se passa em provas desses conteúdos.

Para algumas pessoas, saber o conteúdo e passar na prova é a mesma coisa.

Longe disso.

O foco agora é a prova. Para a vida, o aprendizado, mas isso é papo para outro dia.

 

Concurso Banco do Brasil:  dica 10 – Não deixe nenhuma disciplina de lado

Em todo concurso, há algumas formas de ser eliminado. Neste, uma delas é você ignorar disciplinas. Ao zerar qualquer disciplina na prova, você estará automaticamente eliminado.

Cuidado. Principalmente com aquelas de que gostamos menos ou com que temos menos afinidade. Inglês, matemática, matemática financeira não costumam estar na lista de prioridades na hora do estudo – uma decisão que pode custar muito.

Veja essas matérias como guardiões do portão da aprovação. Você quer chegar aonde planejou? Precisa passar por eles.

 

Concurso Banco do Brasil:  dica 11 – Dê mais ênfase às mais importantes

Especialmente na reta final, é importante cuidar daquelas disciplinas que são mais importantes: Português, Vendas e Negociação, Informática e Conhecimentos Bancários. Juntas, elas representam mais de 3/4 da sua prova.

Mas atenção: pode ser que para algumas regiões, mesmo gabaritar essas disciplinas não seja suficiente para sua aprovação.

Dar ênfase não significa ignorar as demais, significa dar a elas o tempo proporcional à sua importância. Na dúvida entre estudar inglês ou português? Estude português, que em termos absolutos vale três vezes mais que inglês.

Não estudou inglês durante toda a preparação? De repente agora é hora de deixar português um pouco em segundo plano para focar em conquistar pelo menos 1-2 pontos em inglês.

Tudo é muito contextual e depende da sua situação – e quanto mais avançamos no processo de estudos, mais específicas precisam ser as recomendações.

Então, avalie sua situação, veja a que você deu atenção excessiva e que precisa ser regulado agora. Se tiver tido uma preparação equilibrada, meus parabéns, e siga assim com os ajustes necessários até a prova.

 

Concurso Banco do Brasil:  dica 12 – Aprenda com o processo

Eu percebi que há algo que só apreciamos com a idade: o processo. Na juventude, tudo é muito imediato, muito urgente. Conforme o tempo passa, você começa a avaliar retrospectivamente os eventos, começa a tentar entender como aquilo moldou sua vida.

A experiência de estudar para concursos é árdua, difícil, mas pode também ser muito enriquecedora, caso você tenha a disposição de olhar para esse processo com o coração aberto.

Não vai ser fácil, como dito, mas durante os estudos para concursos nós nos tornamos os profissionais de que o Estado precisa.

Bons estudos e conte com o Gran Cursos Online.

Sucesso e bons estudos.

0 Comentários

Postar um comentário

Post a Comment (0)

Postagem Anterior Próxima Postagem